Campanha promove adoção de acolhida da ADRA Brasil

Iniciativa do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES), promove a adoção de adolescente que há 6 anos vivia em instituição dirigida pela ADRA

Os pais adotivos Pierre e Eliene buscando Camili na Casa de Acolhimento

Os pais adotivos Pierre e Eliene buscando Camili na Casa de Acolhimento

Cariacica, ES… [ASN] Aos 12 anos a adolescente Camili Vitória começa uma nova etapa de sua vida. No dia oito de novembro ela deixou a Casa de Acolhimento Provisório, no município de Viana, grande Vitória, onde viveu nos últimos seis anos, para morar com os pais adotivos na cidade de Uberlândia/MG. Esta adoção foi possível através da campanha Esperando por Você, uma iniciativa do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES), que visa incentivar a adoção tardia.

De acordo com a Comissão Estadual Judiciária de Adoção (CEJA), foram produzidos vídeos com crianças a partir dos oito anos, mas que têm algum problema de saúde ou então estão inseridas em um grupo de irmãos. Segundo o CEJA esses fatores dificultam a adoção. “Não temos a cultura ainda, infelizmente, da adoção tardia. Por isso produzimos um vídeo que mostra criança de uma forma respeitosa, bem alegre, mostrando o potencial dela”, explica Maria Inês Valinho, coordenadora do CEJA.

Em Uberlândia a operadora de Telemarketing, Eliene Magalhães, se emocionou ao ver a história dessas crianças que estão almejando um lar, sendo apresentada numa reportagem na TV. O repórter apresentou o projeto e divulgou o site da campanha. Depois de uma conversa com o marido eles fizeram uma pesquisa na internet e entraram em contato com a instituição capixaba. “Eu já queria adotar, mas devido à burocracia ainda não tinha conseguido dar entrada no processo de adoção na minha cidade. Através desta campanha as portas se abriram e a burocracia foi simplificada. Eu conheci a Camili, me encontrei com ela e foi amor a primeira vista”, conta Eliene emocionada.

03

Camili em sua nova casa em Uberlândia

“Camili é uma menina doce, muito alegre e amorosa. A interação e o vínculo dela com o casal foi quase imediato. Começou tímido, no início, porém, com muita intensidade. Em pouco tempo Camili se sentiu amada e acolhida por Eliene e Pierre. Eles a acolheram sem se prender à questão de sua saúde. Eles a viram além de suas limitações”, analisa a coordenadora da Casa de Acolhimento Provisório de Viana, Poliana Santana Ribeiro Dias.

Para o diretor da ADRA Brasil, regional Espírito Santo, pastor Fábio Salles, a adoção de Camili mostra o sucesso do trabalho realizado pela ADRA através de suas parcerias com os órgãos públicos. “É através desses projetos que nós conseguimos fazer a diferença na vida dessas crianças e adolescentes. Eles precisam do nosso carinho, apoio e compreensão para ajuda-los a ter uma melhor condição de vida e a retomar sua autonomia para conduzir a sua história. E é uma grande realização ver resultados positivos como foi este da Camili”, sintetiza o pastor Fábio Salles.

A Casa de Acolhimento Provisório é um projeto da Prefeitura Municipal de Viana, desenvolvido em parceria com a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA Brasil), que abriga crianças de 0 a 12 anos de ambos os sexos e 13 a 18 anos incompletos do sexo feminino, vítimas de negligência e abandono, violência, maus tratos e abuso sexual, encaminhadas pelo Conselho Tutelar e Poder Judiciário. [Equipe ASN, Carla Ferraz]

Para quem desejar maiores informações sobre o processo de adoção, basta procurar a Vara da Infância e Juventude de seu município.

Mais informações sobre a campanha Esperando por Você, basta acessar o site www.esperandoporvoce.com.br