Os bons samaritanos do Espírito Santo

Voluntários que doam um pouco do seu tempo, talentos e recursos se tornam parte ativa na transformação de vida para crianças e adolescentes acolhidas pela ADRA no estado

 

Vitória/ES… [ASN] Há 18 anos, a ADRA Brasil (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais) desenvolve diversos convênios na área de assistência social em parceria com os municípios da grande Vitória. Desde 2013 a Agência Adventista cuida de projetos intitulados Casas de Acolhimento, um lugar onde crianças e adolescentes de zero à 18 anos incompletos – vítimas de abandono, maus tratos e violências, encaminhadas pelo Poder Judiciário e/ou Conselho Tutelar – são acolhidas provisoriamente até que a situação da violação seja superada, os vínculos familiares restabelecidos ou inserido em família substituta.

“Na maioria dos casos, as crianças chegam ao acolhimento fragilizadas, física e emocionalmente. Por isso, é importante que elas encontrem um ambiente agradável, acolhedor, e, acima de tudo, de proteção, a fim de cessar a violência em que estavam inseridas, de forma que elas tenham garantidos os seus direitos para dar continuidade no seu desenvolvimento”, explica a assistente social da ADRA, Maria Goreth Silva Pereira.

Além dos profissionais técnicos, capacitados para desenvolverem este trabalho tão singular, os convênios provisionam também recursos para as despesas das Casas e atendem às necessidades dos acolhidos. Ainda assim, a ação de parceiros e voluntários faz toda a diferença para a promoção do bem-estar e do fortalecimento da autoestima dessas crianças e adolescentes. “Os voluntários chegam cheios de amor e dedicação, fazendo com que as crianças se sintam mais valorizadas e queridas. Alguns trazem presentes, outros lanches e brincadeiras, mas todos, sem exceção, trazem muito carinho e esperança”, analisa a psicóloga da ADRA, Roberta Ingrid Schimitberger, que atende no Serviço de Acolhimento Institucional de Cariacica.

Carina Charpinel Ventorini e seus pais Elzamara e Sergio compartilham o mesmo amor solidário de toda a família, há 3 anos, com as crianças e adolescentes da Casa de Vivencia em Vitoria

Carina Charpinel Ventorini e seus pais Elzamara e Sergio compartilham o mesmo amor solidário de toda a família, há 3 anos, com as crianças e adolescentes da Casa de Vivencia em Vitoria

Um bom exemplo deste amor dispensado às crianças e adolescentes está nas ações culturais e recreativas que a família Charpinel, há cerca de quatro anos, proporciona mensalmente aos acolhidos da ADRA no Centro de Vivência de Vitória. “Toda criança gosta de sair, passear, então é com muita satisfação que nós nos reunimos em família para proporcionar esta oportunidade a elas. Nós criamos um grupo de Whattsapp da família onde planejamos a ação, dividimos as despesas e combinamos a saída. No dia do passeio, quando estamos com todas as crianças reunidas, às vezes nós pensamos que ficamos mais felizes do que elas”, explica com um sorriso no rosto a servidora pública, Carina Charpinel Ventorini, que coordena o grupo com outros 12 membros da família.

Voluntario da ADRA, o oftalmologista dr. Myke Carlos da Silva, há 4 anos atende gratuitamente os acolhidos da Casa de Acolhimento de Viana em seu consultório particular

Voluntario da ADRA, o oftalmologista dr. Myke Carlos da Silva, há 4 anos atende gratuitamente os acolhidos da Casa de Acolhimento de Viana em seu consultório particular

É com este mesmo carinho que o médico oftalmologista, dr. Myke Carlos da Silva, atende gratuitamente, em seu consultório, as crianças e adolescentes acolhidos pela ADRA no município de Viana. Ele conheceu o trabalho realizado pela ADRA através de uma de suas pacientes, que trabalha na Casa de Acolhimento Provisório. Em 2014, quando surgiu a necessidade de um atendimento oftalmológico a um dos acolhidos, ele se voluntariou. “Nós temos que fazer a nossa parte, porém muitas vezes não temos acesso a Instituições sérias, que realizam este trabalho, para que possamos atuar. Se a minha paciente não tivesse comentado sobre a Casa em que ela trabalha e sobre as crianças acolhidas lá, talvez eu não estivesse atendendo-os aqui”, salienta o dr. Myke.

No município de Vila Velha o convênio com a ADRA começou em dezembro de 2016 e, desde o início, a Instituição buscou firmar parcerias com empresas e profissionais liberais da comunidade que pudessem estreitar os laços com a Agência Adventista e seus acolhidos. Um dos parceiros que abraçaram a Casa de Acolhimento foi a Padaria Manos, que, todos os dias fornece, gratuitamente, o pão quentinho para as crianças acolhidas pela ADRA. “Muitas vezes a gente tem a vontade de ajudar, mas tem receio de que o braço que a gente estende pode se voltar contra nós mesmos. E quando vemos um trabalho bonito como o que é realizado pela ADRA, que a gente vem aqui e vê esses olhinhos brilhando, isso nos dá uma imensa vontade de ajudar. É como se estivéssemos fazendo para os nossos filhos”, afirma o empresário Philipe Batista de Freitas, proprietário da Padaria Manos.

Há mais de 1 ano, o empresário Philipe Batista de Freitas é parceiro da ADRA, doando o pão quentinho para as crianças da Casa de Acolhimento de Vila Velha

Há mais de 1 ano, o empresário Philipe Batista de Freitas é parceiro da ADRA, doando o pão quentinho para as crianças da Casa de Acolhimento de Vila Velha

Para o diretor financeiro da ADRA, Leonardo Mendes, são ações realizadas por parceiros como estes que fazem toda a diferença não só para a Agência Adventista no estado, mas principalmente para as crianças e adolescentes acolhidos por ela. “Parte do sucesso do trabalho realizado pela ADRA aqui no Espírito Santo, se deve, em muito, na ação de seus parceiros e voluntários. Estes citados acima são apenas algumas das muitas mãos ajudadoras que nos auxiliam nesta nobre tarefa de levar solidariedade e contribuir para aliviar o sofrimento daqueles que precisam”, ressalta Mendes.

“Tal qual o viajante da Samaria relatado no capítulo 10 do livro de Lucas, aquele que se atenta para um pequenino estendido na estrada dessa vida, estende-lhe a mão e cura suas feridas, os voluntários que se dispõe a doar um pouco do seu tempo, recursos ou talentos para aliviar o sofrimento dos menos favorecidos, não só demonstram uma nobreza de coração, mas  refletem o amor de Cristo em seus corações. Deus nunca permite que um ato de serviço feito com amor e em nome de Seu Filho se perca. ”, analisa o diretor regional da ADRA Brasil, pastor Clairton de Oliveira.

No Espírito Santo, a ADRA Brasil possui convênios de acolhimento infantil com os municípios de Cariacica, Viana, Vila Velha e Vitória, totalizando nove Casas de Acolhimentos Institucionais, que acolhem 180 crianças e adolescentes com idades de zero à 18 anos incompletos, vítimas de abandono, violência, maus tratos e abuso sexual, são encaminhadas pelo Poder Judiciário e/ou Conselho Tutelar. [Equipe ASN, Carla Ferraz]



Fatal error: Call to undefined function dsq_identifier_for_post() in /var/www/html/adra.org.br/wp-content/themes/adra/functions.php on line 520