Reescrevendo Nossa História tem primeira formatura

Egressos do sistema socioeducativo receberam seus certificados em diversos cursos profissionalizantes

Hoje é dia de festa para 222 jovens que participam do projeto Reescrevendo Nossa História em Belém do Pará . Eles são egressos do sistema socioeducativo e encontraram aqui um novo caminho para o futuro. No último dia 15, eles passaram pela cerimônia de formatura e levaram para casa um certificado do curso que escolheram. O evento contou com representantes do poder público e organizações não governamentais que apoiam o projeto.

Para Luiz Henrique da Silva Pacheco, fazer parte disso foi fundamental para sua mudança de estilo de vida. “O projeto entrou na minha vida de tal maneira que antes eu me encontrava no mundo vendendo droga, praticando assalto. Até que uma certa vez eu passei por uma internação (reclusão em sistema socioeducativo) e, após a internação, eu conheci o projeto. Eu vi uma oportunidade, uma porta aberta para eu mudar de vida, de eu sair daquela vida em que eu vivia para fazer um curso, para mudar de vida.” A cerimônia foi uma validação da profissão que Pacheco já está exercendo. Ele abriu seu próprio salão de beleza e de lá tira o sustento da família que formou com a esposa.

Assim como Luiz Henrique, os alunos dos cursos profissionalizantes de corte e costura industrial, informática, cabeleireiro e culinária sairão daqui aptos a ingressar no mercado de trabalho.
O doutor Vanderlei Oliveira é juiz titular da Terceira Vara da Infância e Juventude no Pará e afirma que “hoje, com mais de duas centenas de alunos recebendo o seu certificado de conclusão do curso profissionalizante, mostrando que este é o caminho, que devemos andar por ele. O caminho da ressocialização, o caminho da inclusão, o caminho da reinserção e o caminho do empoderamento da cidadania e dignidade”, conclui.

O projeto é uma parceria da Agência Adventista de Recursos Assistenciais (ADRA) e do Ministério Público do Trabalho do Estado do Pará. Os recursos vêm de acordos judiciais não cumpridos. A Federação dos Empresários Adventistas do Pará também faz parte da iniciativa. Para o pastor Adriano Aureliano, a cerimônia celebra também os desafios vividos desde o início do projeto. “Um ano de atividades, de trabalhos… O desafio existe porque este é um projeto pioneiro, então os cursos oferecidos aqui, cursos de formação profissional, é a primeira vez que estamos fazendo. Mas os desafios foram superados, os obstáculos, o aprendizado que fomos tendo mês a mês, e agora chegamos aqui para celebrar, para agradecer pelos 222 alunos certificados”, declara Aureliano, mencionando ainda a importância dos parceiros do Reescrevendo Nossa História. [Equipe ASN, Anne Seixas, Fotos: Jackson França]