Grupo de jovens, funcionários da ACSR, doa 50 cestas básicas para a ADRA/RS

 em Rio Grande do Sul
Entrega dos alimentos foi realizada no dia 31 de maio.

Entrega dos alimentos foi realizada no dia 31 de maio.

No dia 31 de maio de 2021, segunda-feira, um grupo de jovens formado por funcionários da Associação Central Sul Riograndense efetuou uma doação de 50 cestas básicas para a ADRA/RS.

O grupo

O grupo faz parte de um Pequeno Grupo de Jovens vinculado à ACSR. O projeto foi idealizado pela Associação Central Sul Riograndense (ACSR) para envolver seus funcionários jovens e solteiros. Os jovens realizam cultos, possuem um plano anual de leitura, fazem reflexões juntos e contam com diversos líderes para coordenar todas as diferentes ações que realizam. O projeto de arrecadação de alimentos, em si, está acontecendo há alguns meses e, hoje, é organizado pelo jovem funcionário Gerard Bourscheit, que cuida exclusivamente desta ação.

De onde vieram os alimentos?

Os jovens se organizam em 5 grupos com até 6 pessoas para fazer a arrecadação de alimentos na porta de supermercados. Apesar da pandemia, o grupo tem conseguido bons resultados apostando em diversos “pequenos grupos” espalhados com banners em estabelecimentos locais. E foi esta organização que ajudou a superar estes obstáculos e arrecadar 50 cestas neste mês. O grupo também conta com a doação de alguns funcionários da ACSR, que doam diretamente para o projeto, e há o contato com alguns mercados da região que ajudam com alguns alimentos. O objetivo do grupo é aumentar este número de cestas para os próximos meses, podendo chegar até a 100 cestas montadas por mês.

Para onde estes alimentos vão?

As 50 cestas básicas serão destinadas às famílias atendidas pelos projetos da ADRA no Rio Grande do Sul. Ao falar sobre o projeto, Gerard Bourscheit se emocionou ao contar um pouco da sua motivação para participar de projetos de assistência, como este. “Não é a primeira vez que eu me envolvo em projetos assim, […] agora que estou trabalhando na Associação eu tenho a chance de participar de projetos que tenham uma abrangência maior. […] É uma sensação extraordinária, porque eu já passei por muitas dificuldades. A minha família é bem humilde e em alguns momentos a gente beirou a situação de passar fome. Então eu não penso que são 50 cestas básicas que estamos conseguindo alcançar, são 50 famílias. Às vezes eu nem vejo as pessoas que estão sendo ajudadas, mas saber que eu estou ajudando, […] que eu estou conseguindo fazer a diferença na vida dessas pessoas, sabendo que eu já estive no lugar delas, é uma sensação única. É o que me motiva!”.

Postagens Recentes