Um Dia das Crianças sem idade máxima

 em Espírito Santo

O que aconteceria se conectarmos a energia das crianças com a solidão dos idosos? No dia 31 de outubro, duas coordenações regidas pela ADRA decidiram reunir dois segmentos distintos na sociedade em comemoração ao dia das crianças. As Casas de Acolhimento Provisório (CAP) de Cariacica para crianças de 0 a 12 anos, deslocaram seus pequenos acolhidos para passar o dia na Residência Terapêutica (RT) de Vitória, no ES.

Esta ideia se iniciou com a coordenadora e psicóloga da Residência Terapêutica, Goreth Sena, ao perceber a carência que os moradores possuíam em se relacionarem com crianças. Por obter experiência de trabalho em outra Casa de Acolhimento Infantil em Vila Velha, também coordenada pela ADRA, reparava que as crianças sentiam a falta de conviver com o público idoso.

“Nosso trabalho é de reinserção social, então eu achei que aproximar esses dois públicos foi maravilhoso. Quando você vê o olhar de uma criança e de um idoso aqui hoje, você vê que eles estão aproveitando muito. Isso é extremamente terapêutico não só para os moradores desta RT, mas para mim, para os cuidadores, voluntários e as crianças”, relata Goreth Sena com um grande sorriso gratificante.

Com o objetivo de unir crianças e idosos, os organizadores tiveram a certeza que poderiam deixar os corações algumas vezes abandonados, mais fortes e alegres. “Acho interessante esta junção de públicos e principalmente para os moradores da RT, pois eles já tiveram esta idade, mas não tinham passado por uma experiência de comemorar este dia com os pequenos”, afirma Rael Andrade, coordenador da Casa de Acolhimento Provisório para Crianças de 7 a 12 anos, em Cariacica-ES.

Atualmente a Residência Terapêutica de Vitória comporta 05 (cinco) moradores que estão na terceira idade, e muitos não têm conhecimentos de sua família ou não possuem familiares, e os que possuem não o acompanham adequadamente, pois temem o recebe-los de volta. E aliar estes moradores com as crianças que foram vítimas de abandono, violências e maus tratos, supre e alimenta o sentimento familiar de que ambos estão desprovidos.

Em meio a tanta correria e brincadeiras, o pequeno W. V., 10 anos, relata a gratidão de estar comemorando este dia juntamente com os adultos idosos de maior idade. “ muito feliz e achando legal nós estarmos aqui com todo mundo brincando e com eles ajudando a gente, fazendo tudo do bom e do melhor”, afirma ofegante e com grande entusiasmo.

Maykiane Schiavo, coordenadora da outra CAP, dos pequenininhos de 0 a 6 anos também de Cariacica – ES, não pode deixar de expressar a gratidão ao ver o olhar e alegria estampada no rosto das crianças, e comentou: “Quando a gente contou que elas (crianças) viriam passar um dia aqui, elas ficaram muito entusiasmadas e ansiosas, e, hoje, vendo eles felizes assim é um sentimento muito gratificante, vendo essa carência sendo suprida com o carinho dos idosos”, afirma.

O dia também contou com a presença da ONG “Engenheiros sem Fronteiras”, que devido a parcerias ocorridas anteriormente com outros projetos em que a ADRA administra, prontamente se mostraram dispostos para fazer parte desta ação realizando brincadeiras, teatro de fantoches e muitos balões para alegrar este dia tão especial na vida destas crianças e idosos.

“Mesmo tendo uma dificuldade para conciliarmos um dia para realizarmos esta comemoração, os dois espaços e os Engenheiros sem Fronteiras abraçaram esta ideia de uma forma espetacular, adequando a rotina de cada um e a agenda de cada espaço. Mas graças a Deus estamos aqui hoje tendo este dia maravilhoso”, finaliza Goreth Sena.

Chrissye Bettoni

Postagens Recomendadas