Em nova modalidade, Serviço de Acolhimento para população de rua é inaugurado no Espírito Santo

 em Espírito Santo, Notícias, Notícias - ES

No Brasil, 222 mil pessoas vivem em situação de rua, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Entre 2012 à março de 2020 o estudo apresentou um aumento de 140% de pessoas que se encontram nestas condições. Com a pandemia de Covid-19, os números não param de crescer, e quem mora na capital capixaba pôde perceber a necessidade que o município dispôs para providenciar um serviço que acolhesse essa comunidade.

A população de rua é composta por um grupo que é caracterizado pela diversidade e a dura realidade similar, que, dentre os principais fatores que a levam ao encontro de uma às outras, está: desemprego, vínculos interrompidos, perda de algum ente querido, violência, alcoolismo, doença mental, dentre outros.  As maiores características deste grupo é a pobreza absoluta e a falta de habitação convencional regular, utilizando a rua como espaço de moradia e sustento por tempo indeterminado.

Mesmo que para grande parte da sociedade estas pessoas em situação de rua sejam consideradas apenas um obstáculo, para a ADRA e outras Instituições Sociais essa realidade precisar ser mudada. Pensando nisso, a Agência Adventista tem realizado estratégias por meio da política de assistência social para resgatar a dignidade, cidadania, autonomia, ressignificação e reintegração familiar desta comunidade. A ADRA já vem realizando parcerias com os municípios de Serra, Cariacica e Vitória para atender pessoas em situação de rua em diversos serviços, dentre eles: Abrigo Adulto para pessoas em situação de rua, Centro POP, Hospedagem Noturna, entre outros.

Serviço de Acolhimento Emergencial Transitório

Com o intuito de mudar a realidade das pessoas que habitam nas ruas do município de Vitória, a capital capixaba inaugurou nesta semana o Serviço de Acolhimento Emergencial Transitório, uma nova parceria firmada entre ADRA, município e Hospedagem Bom Samaritano. A cerimônia de inauguração foi realizada no dia 13 de julho, e contou com a presença do Prefeito, Lorenzo Pazolini, secretários municipais e demais autoridades públicas.

O espaço conta com 660m² na Av. Leitão da Silva, uma das maiores avenidas de Vitória, todo equipado pelo município para receber 40 pessoas/dia, com o funcionamento de 24 horas, além de oferecer atendimento psicossocial para o público-alvo.

“O município acompanhou todo o processo inclusive aprovando os recursos para que este espaço hoje pudesse ser aberto para acolher as primeiras pessoas”, relata Carla Scardua, vice-presidente do Conselho de Assistência Social do município de Vitória.

As pessoas receberão 4 refeições ao dia, que serão: café da manhã, almoço, lanche e jantar. Além disso, o espaço foi equipado com ambientes para guardas dos pertences, lavagem e secagem de roupas, banheiros adaptados, ambiente com camas para repouso e cozinha industrial.

“Aqui a gente traz, junto com a expertise da ADRA e do Bom Samaritano, um atendimento de hotelaria. Aqui eles são tratados como hóspedes. E é isso que estamos entregando hoje, uma oportunidade e dignidade para população em situação de rua. Enquanto sociedade nós não queríamos que estas pessoas se encontrassem em situação de rua, então essa é uma entrega para o município”, afirmou a Secretária de Assistência Social do município de Vitória, Cintya Silva Schulz.

Diferente dos outros termos de colaboração que a ADRA possui com os outros municípios da Grande Vitória, o Serviço de Acolhimento Emergencial Transitório é uma tripla parceria, que desta vez, além do município, conta com a colaboração da Hospedagem Bom Samaritano, como afirma o sócio da empresa, Eduardo Tertuliano: “Quando nós entramos neste estabelecimento nós conseguimos visualizar esse serviço pronto. Nós acreditamos que poderíamos entregar esse serviço tão bem estruturado para a população de rua de Vitória, que aqui serão os nossos hóspedes. Agradeço a oportunidade junto a prefeitura e a ADRA em poder participar deste projeto”, confirma.

Todas as medidas de proteção contra a COVID-19, serão seguidas de acordo com as normas sanitárias,  colocando à disposição profissionais e materiais de limpeza, assegurando assim a higienização adequada dos espaços, principalmente daqueles compartilhados. Toda a parte administrativa e gestão do espaço está sendo realizada por colaboradores da ADRA. Ao todo serão 20 funcionários preparados para realizar o devido atendimento para o público. Serão 2 psicólogos, 2 assistentes sociais, e 14 cuidadores sociais que estarão em atendimento em suas divisões de turno. Os acolhidos terão acesso ao serviço por meio de encaminhamentos realizados pelo Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas), e também por outros serviços da SEMAS.

“A pessoa ao chegar no serviço ela é acolhida pelos profissionais, e então é feito um plano individual de atendimento (PIA) para entender quais são os objetivos do acolhido, e saber quais serão os trabalhos que deverão ser desenvolvidos com ele à partir do momento que a pessoa entra até a finalização do atendimento. Esta se dará em no máximo 180 dias, porque este serviço é transitório. Neste tempo a equipe identifica no PIA se necessita a reinserção familiar, reinserção comunitária ou transferência para outro tipo de serviço. O diferencial desta vez é que, anteriormente no município, era apenas para a população adulta, e desta vez nós também atenderemos famílias. Enquanto instituição estamos felizes em participar deste projeto porque ele é inovador, e também por ter mais uma parceria, a qual atenderá a modalidade de hotelaria. Estamos felizes em participar junto ao município dessa nova modalidade. Agradecemos a Deus e aos nossos parceiros”, relata Rogéria Carla Mesquita, coordenadora gerencial do serviço e colaboradora da ADRA.

Postagens Recentes